Qual a importância do alongamento?

//Qual a importância do alongamento?

Qual a importância do alongamento?

Quando se inicia a prática de exercícios físicos, sempre se ouve falar da importância do alongamento. Mas, muitas vezes, as pessoas desconhecem o que é e porque ele é realizado antes ou depois da atividade, e até o negligenciam.

O que é? – Antes de mais nada, é importante saber que alongamento é um exercício físico voltado para a flexibilidade dos músculos. Promove o estiramento de boa parte das fibras musculares, além de propiciar amplitude maior dos movimentos, melhorando a performance em diferentes atividades físicas. Mas vale destacar que, embora leve e recomendado para todas as idades, ele deve ser realizado com critério. O ideal é a série ser elaborada por profissional que leve em consideração as condições físicas do atleta e obedeça à sequência lógica de execução.

Qual a importância? – Os músculos são como elásticos que precisam ser frequentemente estendidos para não “arrebentarem” quando forem muito exigidos. E o alongamento promove exatamente essa flexibilização, trabalhando diferentes estruturas musculares, como, por exemplo, o sarcômero, os tecidos conjuntivos, o fuso muscular e o órgão tendinoso de Golgi.

A importância do alongamento passa também pela melhoria da postura, justamente porque foca a manutenção ou elevação dos níveis de mobilidade articular e elasticidade muscular. Esses fatores associados contribuem potencialmente para a melhora postural. Além disso, alongar aumenta a sensação de bem-estar, diminui as dores e tensões e possibilita maior consciência corporal, requisito imprescindível para o equilíbrio e alinhamento da postura.

A prática é tão importante que o corpo clama por alongar-se. Basta lembrarmos como é forte o impulso natural de espreguiçar ao acordar, ou seja, o corpo quer se esticar. Aliás, a parte da manhã é uma ótima hora para fazer isso, depois de horas de relaxamento provocado pelo sono. Esse exercício faz bem não somente para o corpo, mas também para a alma, pois a sensação de relaxamento eleva o ânimo, aumenta a autonomia do corpo e previne o surgimento de dores.

Por essa recomendação deve ser realizado alongamento antes e pós-treino. A fisiologia é bastante clara nesse sentido: músculos encurtados e tensos limitam a amplitude dos movimentos, afetam a postura e, em certos casos, a precariedade na flexibilidade da musculatura pode gerar sérios desconfortos físicos.

Diferenças – Existem diferentes tipos de alongamento e cada um deles é realizado de uma forma, cumprindo papéis bem específicos na musculatura.

Estático: é o tipo de alongamento mais tradicional, no qual uma área fica estendida enquanto o restante do corpo permanece parado. A recomendação é que o atleta fique entre 30 e 60 segundos na mesma posição para bons resultados.

Dinâmico: o atleta faz movimentos de vai e vem, trabalhando diferentes estruturas por meio de estímulos que ajudam os músculos a se soltarem e a ficarem menos tensos.

Passivo: o atleta recebe a ajuda de outra pessoa ou equipamento, que o auxilia no controle da força aplicada, sempre respeitando os limites do corpo e contribuindo para que as posições sejam anatomicamente confortáveis.

Cuide da flexibilidade da sua musculatura e não abra mão de alongar-se.

Fonte: ciaathletica.com.br

Por | 2018-08-19T20:38:56-03:00 agosto 19th, 2018|Saúde|0 Comentários

Sobre o Autor:

Deixe um Comentário