DENGUE: O PERIGO DOBROU

DENGUE: O PERIGO DOBROU

Dengue: O perigo dobrou…

Prefeito Deiró Marra autoriza contratação emergencial de novos agentes de endemias e equipamentos de combate à dengue.

Na manhã desta sexta-feira (5), o prefeito Deiró Marra anunciou a contratação emergencial de novos agentes de endemias e equipamentos de combate, que irá promover ações para evitar a proliferação dos mosquitos (zika e chikungunya).

Segundo o secretário de saúde Humberto Donizete, as contratações são de caráter emergencial, limitadas a noventa dias e a expectativa é de que os novos agentes possam atuar ainda este mês. “Como nosso efetivo é pequeno, nós conversamos com o prefeito e ele de prontidão autorizou a contratação emergencial de no mínimo mais 10 agentes. Nossa intenção é de que finalizemos essas contratações no máximo entre os dias 15 e 20 para que eles possam passar pelo treinamento e já começar os trabalhos de combate ao Aedes Aegypti”.

Vale lembrar que ainda na gestão do ex-prefeito Dr. Lucas Siqueira, foram demitidos 23 agentes de endemias, sendo mantidos apenas 28 servidores que tiverem seus salários reduzidos. Estes que se mantiveram, são os responsáveis por fazer o controle da dengue em toda a cidade que tem aproximadamente 100 mil habitantes, já que na atual gestão de Deiró Marra até o momento não havia sido contratados mais agentes.

Diante deste fato, muitas pessoas vinham reclamando que suas casas passam meses sem serem visitadas por agentes de endemias, considerando o número de servidores baixo diante da quantidade de casas que cada um tem que visitar. Por isso a gestão precisa realmente aumentar o número de agentes para que seja feita uma melhor cobertura.

Contudo, o coordenador Gilberto Martins, faz questão de ressaltar que existe o trabalho feito pelos agentes de endemias, onde cada um deles é responsável por um zoneamento que é delimitado, ou seja, o agente sempre visita as mesmas casas para que assim os moradores se acostumem com ele e não dificulte a entrada dele na casa.

Se tratando das casas fechadas (onde moradores trabalham e nunca fica ninguém no horário comercial), o coordenador diz que isso realmente é um problema que tem dificultado bastante o trabalho dos agentes e que para isso eles têm autorização da gestão para fazer horários diferenciados, na hora de almoço e finais de semana, para resgatar essas casas que estavam fechadas, já que a vigilância entende que até 10% de casas fechadas é aceitável mas passou disso, já tem um risco grande do mosquito se proliferar.

As casas de aluguel deixadas em imobiliárias, também não são deixadas para traz, pois, segundo Gilberto Martins, a vigilância epidemiológica mantém um vínculo com os corretores. Sendo assim, os funcionários das imobiliárias acompanham os agentes de endemias até as casas para que seja feio o controle da dengue.

Casos notificados de dengue do início de 2019 até o atual momento:

A Secretaria Municipal de Saúde de Patrocínio revelou que cerca de 270 casos de dengue foram notificados na cidade, desde o início desse ano. Números contabilizados através do atendimento na saúde pública, fora particulares.

O coordenador da vigilância epidemiológica, Gilberto Martins, fez um balanço sobre esses números dizendo que, neste ano houve um aumento de casos de dengue, onde muitas pessoas doentes passaram a procurar pelo serviço médico, com sintomas compatíveis com o da doença, sendo que alguns casos têm sido investigados através de exames, muitos deles confirmados e outros aguardando resultado. Algumas pessoas já foram hospitalizadas com a dengue um pouco mais grave, com sintomas mais preocupantes, mas felizmente até o momento, não houve casos que evoluíram para óbito (dengue hemorrágica).

A prevenção é a melhor arma contra a doença: mosquito que mata não pode nascer.

O coordenador da vigilância epidemiológica, diz que a população tem que se conscientizar mais, porque o ideal é não deixar que o mosquito se prolifere. Pois, a pulverização não é o correto, descontrola o ambiente, afinal, é um veneno e têm pessoas que são alérgicas e ainda tem a questão das crianças que são mais sensíveis.

Vale ressaltar que há anos a mídia em geral, vêm mostrando as formas de combate e prevenção ao mosquito mas infelizmente muitas pessoas ainda insistem em não dar atenção e continuam errando na forma de evitar a proliferação do Aedes, por isso, reforçando: a melhor forma de se evitar a dengue é combater os focos no acúmulo de água, locais propícios para a criação do mosquito transmissor da doença. Para isso, é importante não acumular água em latas, embalagens, copos plásticos, tampinhas de refrigerantes, pneus velhos, pratinhos de plantas, jarros de flores, garrafas, caixas d’água, tambores, latões, cisternas, sacos plásticos e lixeiras, entre outros.

Por | 2019-04-06T07:02:47-03:00 abril 6th, 2019|Noticias, Patrocínio e Região, Politica, Saúde|0 Comentários

Sobre o Autor:

Deixe um Comentário