AGRICULTURA FAMILIAR / GUIMARÂNIA – IMPORTÂNCIA BRASILEIRA

/, Patrocínio e Região, Politica, Sem categoria/AGRICULTURA FAMILIAR / GUIMARÂNIA – IMPORTÂNCIA BRASILEIRA

AGRICULTURA FAMILIAR / GUIMARÂNIA – IMPORTÂNCIA BRASILEIRA

 

Dados da Secretaria de Agricultura juntamente com a EMATER mostram que em média 80% das famílias do município de Guimarânia/MG compõem o setor de agricultura familiar, contribuindo economicamente para que a cidade desenvolva.

Por: Eduarda Benedetti

Ao contrário da agricultura patronal, que é realizada através de contratações de trabalhadores para atuação em grandes sistemas produtivos de médias e grandes propriedades, a agricultura familiar se refere a toda forma de cultivo da terra e produção rural cuja gestão e mão de obra sejam dominantemente vindos do núcleo familiar, ou seja, a produção é feita a partir de lotes menores de terra, com uma maior diversidade produtiva, onde a família é ao mesmo tempo, proprietária, gestora e responsável por toda produção e comercialização.

Segundo dados da Organização das Nações Unidas (ONU) a agricultura familiar é responsável hoje por 80% de toda produção mundial de alimentos. A Organização também informou que são mais de 500 milhões de produtores rurais dedicados à agricultura familiar no mundo, ocupando 90% de todas as propriedades agrícolas do globo.

Já o Jornal Estado de Minas (www.em.com.br) ressalta em uma de suas matérias que: “No Brasil, a agricultura familiar avança no mercado interno e já responde, segundo o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, por mais de 50% da comida que chega às mesas dos brasileiros. São também as pequenas áreas rurais conduzidas por famílias que respondem por 70% da mão de obra no campo. Elas agrupam aproximadamente 4,4 milhões de famílias agricultoras, o que representa 84% dos estabelecimentos rurais no país, gerando 38% do valor bruto da produção agropecuária”.

Diante dessa realidade o prefeito de Guimarânia/MG, Adílio Alex dos Reis, 42 anos, diz que “hoje o município conta com vários produtores rurais envolvendo a agricultar familiar, que produzem diversos tipos de produtos, os quais tornam renda principal de toda família. Sendo estas famílias a representatividade na base da economia de nosso município”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Prefeito Adílio Alex dos Reis

Foto: Internet

Segundo o prefeito Adílio dos Reis, esta é uma gestão totalmente envolvida com a agricultura familiar e que por isso vem sendo atribuído à Secretaria de Agricultura grandes ações, sendo possível perceber a quantidade de estradas e vias rurais sendo mantidas em ótimas condições para o escoamento da produção rural. Vários apoios aos produtores foram conseguidos, como serviços de máquinas agrícolas para melhoria das condições de trabalho. “Apoiamos e buscamos recursos para as Associações Rurais, sendo possível ver a quantidade de máquinas e implementos agrícolas adquiridos junto aos deputados federais Tenente Lúcio e Weliton Prado, no intuito de aprimorar e impulsionar o trabalho rural. Também estruturamos, organizamos e apoiamos a Feira Livre da Agricultura Familiar, possibilitando ter um novo espaço para suas vendas e melhores condições de trabalho”.

O prefeito destaca também que foram implantados cursos de aperfeiçoamento em diversas áreas rurais, tanto com máquinas e implementos, quanto qualidade dos produtos e de trabalho. “Como destaque, temos o curso de Vaqueiro em parceria com a Unicerp e Sicoob Coopacredi, no intuito de aperfeiçoar as condições de trabalho destes profissionais. Também temos um convênio com a Unicerp para reduzir o preço da análise do solo, ferramenta importantíssima a qual possibilita aplicar no solo somente a quantidade correta de nutrientes, possibilitando maior qualidade e produção. Contudo, diversas outras ações como obras de mata-burros, pontes, entre outros vem sendo realizadas”, ressalta Adílio dos Reis.

O secretário de agricultura de Guimarânia, Marco Antônio Nunes de Melo, 27 anos, formado em Engenharia Civil pela Universidade de Uberaba, especialista em Estruturas e Fundações, afirma que hoje a base econômica da cidade é a agricultura familiar. Segundo dados adquiridos pela secretaria de agricultura juntamente com a EMATER, a quantidade de famílias que compõe o setor rural no município é em média 80%, que se divide em produtores de queijo, leite, milho, frango, laranja, silo, entre outros. Incluindo as oito Associações Rurais (Associação dos produtores Rurais de Água Limpa, Associação Comunitária de Borges, Associação Comunitária de Caixetas, Associação Comunitária de Cerradão, Associação Comunitária de Marques, Associação de Moradores “Morro Feio”, Associação de Produtores Rurais de São Cristóvão e Associação dos Apicultores do Vale de Espírito Santo) que estão ativas no município e que são de total importância para o crescimento rural.

 

 

 

 

 

 

 

Secretário de agricultura Marco Antônio Nunes de Melo

Foto: Internet

Vale ressaltar que os produtores que querem vender seus produtos na Feira Livre da Agricultura Familiar do município, realizadas aos sábados, precisam fazer um cadastro na secretaria de agricultura e passar por uma avaliação para ter o direito da banca.

Todavia, pensando em buscar melhorias para o setor da agricultura familiar, produtores rurais criaram o Conselho de Desenvolvimento Rural, que representa as famílias rurais do município, ou seja, ele tem atribuição junto à Secretaria de Agricultura, com o objetivo de apresentar todas as demandas e dificuldades dos produtores. Sendo assim, durante as reuniões são discutidos projetos para o que desenvolvimento rural seja cada dia maior.

 

 

 

 

 

 

 

Márcio caixeta, produtor rural, presidente do Conselho e vice-presidente da Associação dos Caixetas.

Foto: Arquivo Pessoal

Para o presidente do Conselho, produtor de leite e queijo artesanal Márcio Caixeta de 52 anos, a agricultura familiar é muito importante, motiva o comércio local, produz o alimento que vai pra mesa de várias famílias e acaba gerando empregos e renda, contribuindo economicamente para o desenvolvimento da cidade. “É muito importante que os produtores se unam através do Conselho para que possam cobrar da atual gestão política, melhorias para o setor, pois eles vem dando mais importância aos agricultores. O secretário de agricultura Marco Antônio por exemplo está dando mais dinamismo nos trabalhos da secretaria de agricultura e se empenhando ao máximo para nos ajudar, tanto que os associados estão se sentindo mais valorizados”.

E para valorizar ainda mais os produtores rurais de Guimarânia e ajudá-los a desenvolver seus trabalhos com mais qualidade, o prefeito Adílio dos Reis diz que no ano de 2019 a prefeitura juntamente com a Secretaria de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Meio Ambiente, conseguiu entregar às Associações Rurais do município alguns recursos advindos do governo, sendo, uma patrulha mecanizada composta de um trator e uma ensiladeira, conseguidos através do deputado federal Weliton Prado juntamente com o deputado estadual Elismar Prado.  E também três carretas basculantes, duas roçadeiras, um pulverizador e uma plantadeira, conseguidos com o deputado federal Tenente Lúcio.  Outra conquista dos produtores rurais foi o recebimento de calcário normatizado junto ao CMDRS Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural Sustentável, que deverá trazer aumento na produtividade e qualidade final dos produtos. “Tudo que estiver ao meu alcance como gestor público de Guimarânia, para ajudar os agricultores familiares eu farei, afinal nada mais justo que contribuir com aqueles que vem fazendo nossa cidade desenvolver a cada dia”, enfatiza o prefeito Adílio.

 

 

 

 

 

 

Deputado federal Weliton Prado juntamente com governantes de Guimarânia/MG.

Foto: Internet

 

 

 

 

 

 

 

 

Deputado federal Tenente Lúcio e o prefeito de Guimarânia/MG Adílio

Foto: Internet

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Elismar Prado e o prefeito de Guimarânia/MG Adílio

Foto: Internet

Filho de agricultor, agricultor é.

O produtor de leite e queijo artesanal Márcio Caixeta de 52 anos, sempre foi envolvido com a agricultura familiar, já que seus pais trabalharam nesta área. No entanto foi em 1986 que ele começou a produzir leite e queijo artesanal. Assim que se casou com sua esposa Maria Marta Caixeta, 48 anos, continuou as atividades, só que tendo ela como parceira. Sendo assim, atualmente eles entregam 100 litros de leite a um laticínio todos os dias e Maria Marta chega a produzir cerca de 15 a 20 Kg por dia de queijo artesanal que vai diretamente para um comprador da cidade de Uberlândia todo final de semana.

Sendo assim, atualmente a família Caixeta se enquadra na agricultura familiar uma vez que a produção é toda realizada somente pelos membros da família, o próprio senhor Márcio, sua esposa Maria Marta e pelo filho do casal Murilo Augusto Caixeta, quando ele não está na escola, pois a outra filha deles, Marina Amanda Caixeta não consegui ajudar tanto,  devido seus estudos na faculdade.

Só que além de produtor, Márcio Caixeta também é o vice-presidente da Associação dos Caixetas, que foi fundada dia 01 de Abril de 1991 pelo senhor Alair Fernandes Caixeta, com o objetivo organizar atividades rurais e buscar recursos para a melhoria do trabalho de todos os associados pequenos produtores. Já que na época não tinha máquinas para prestar serviço e nem prestadores de serviço no município e que por isso a agricultura estava muito atrasada.

Segundo Márcio Caixeta, a primeira conquista da Associação foi um trator, deste então os associados não pararam de correr atrás de implementos e assim a Associação foi só crescendo. Tanto que hoje com sede própria, eles atendem os grandes e pequenos produtores. “Nos unimos para comprar defensivos, adubos, etc. Atualmente a associação tem uma média de 35 associados. Temos 16 implementos (três carretas, duas ensiladeiras, duas plantadeiras, um distribuidor de calcário, três grades, um subsolador, um arado, uma pá hidráulica, uma lâmina hidráulica, um perfurador de solo), que são só dos associados, comprados com recursos próprios”.

Desde então, muitos agricultores do município conseguiram bons resultados em suas atividades devido aos serviços prestados pela a Associação dos Caixetas. “Acredito que a união faz a força! Os agricultores precisam sempre estarem unidos, para que juntos possamos driblar as dificuldades e alcançar nossos objetivos”, diz Márcio Caixeta.

O produtor tanto acredita na força da união, que além de produtor e vice-presidente da Associação dos Caixetas, ele também é presidente do Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural de Guimarânia. E é através do Conselho que ultimamente ele vem cobrando dos agentes políticos melhorias para o setor da agricultura familiar do município, já que para ele os produtores rurais precisam ser mais valorizados e o governo criar mais programas de incentivos nesta área, pois, na visão do produtor, eles além de serem os responsáveis por colocar alimentos na mesa das pessoas, também possuem um grande papel diante da sustentabilidade socioambiental, pois seus trabalhos tem como características um baixo impacto no ambiente diante da maneira mais tradicional de realizar suas atividades para obter o produto final.

Por fim, Márcio Caixeta ressalta que se sente orgulhoso em poder contribuir para o desenvolvimento de Guimarânia e aproveita para agradecer a todos os políticos e demais pessoas que vem contribuindo para que a agricultura familiar não acabe! “Acredito que diante da união nós produtores rurais de Guimarânia, do estado de Minas Gerais e de todo o país conseguiremos vencer os obstáculos para que o nosso trabalho continue e nunca chegue a faltar alimento na mesa das pessoas”, salienta Márcio Caixeta.

Por | 2020-02-17T12:22:36-03:00 fevereiro 17th, 2020|Noticias, Patrocínio e Região, Politica, Sem categoria|0 Comentários

Sobre o Autor:

Deixe um Comentário